Arquivo da tag: Restauração Apostólica

Um apóstolo segundo um apóstolo

O chamado “Movimento da Restauração Apostólica” transformou o que outrora fora um extraordinário ofício circunstancial em mais um degrau a ser escalado na carreira eclesiástica. A meu ver, o apostolado moderno é só mais uma patente, um insígnia dourada, forjada com o propósito de enaltecer os homens que a ostentam. Estes charlatões condecorados, que transpiram altivez e vaidade por todos os poros, não poderiam estar mais distantes dos apóstolos genuínos.

Creio que não há quem melhor possa falar a respeito da realidade do ministério apostólico do que um apóstolo… E um de verdade! Acho que Paulo é a pessoa certa para esta tarefa, pois foi quem mais precisamente descreveu a vida e a obra de um enviado (é o que a palavra grega ἀπόστολος, apostolos, significa) . Portanto, vamos contrapor a vida do Apóstolo dos Gentios com a destes que existem por aí…

  • Alguns dos apóstolos modernos rasgam os céus a bordo de seus jatos de luxo, ao passo que os apóstolos autênticos não tinham meios para manter uma montaria, e por conta disto, costumavam percorrer longas distancias a pé.  Paulo também chegou a se deslocar em barcos, o que rendeu-lhe um saldo de três naufrágios  (2 Coríntios 11:25);
  • Muitos destes que se dizem apóstolos, nas vezes em que são pegos de calças curtas pela justiça dos homens, ou quando são criticados por seus vários deslizes doutrinários, costumam apresentar-se como vítimas injustiçadas (1 Pedro 2:20).  Paulo foi apedrejado, surrado com varas (2 Coríntios 11:25) e aprisionado (2 Timóteo 2:9), e ainda assim, ousava dizer que “…a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” (2 Coríntios 4:17) [grifo meu];
  • Os apóstolos de hoje exigem de seu séquito toda espécie de donativos, ofertas, sacrifícios e sementes. Paulo, temendo sobrecarregar a igreja, preferiu trabalhar noite e dia, afim de prover o seu próprio sustento (1 Tessalonicenses 2:9);
  • Muitos destes falsos apóstolos pregam que quanto mais dinheiro, propriedades, títulos e posições sociais um cristão acumular, mais abençoado este é diante de “deus”. Paulo escreveu que perdeu todas estas coisas, pelo conhecimento de Cristo Jesus, e a partir deste momento, passou a considera-las como “esterco” (Filipenses 3:4-8);
  • Os apóstolos desta era, vivem vidas confortáveis, sem muitos percalços. Paulo afirmava estar experimentado em tudo, desde a fartura até a pobreza,  desde a abundância até a fome (Filipenses 4:12);
  • Os apóstolos modernos gabam-se do tamanho de suas congregações e de possuírem em seus currículos várias (supostas) curas e milagres, em oposição a Paulo, que dizia gloriar-se unicamente de suas fraquezas (2 Coríntios 12:5);
  • Os apóstolos de hoje, desfilam em seus carros de luxo, em uma flagrante afronta a pobreza da maioria de seus seguidores. Paulo se fez de fraco diante dos fracos, para ganha-los para Cristo (1 Coríntios 9:22);
  • Os apóstolos atuais consideram-se santos ungidos e inatingíveis. Paulo considerava a si mesmo “o principal dos pecadores” (1 Timóteo 1:15);
  • Paulo trazia em seu corpo, as marcas do Senhor Jesus (Gálatas 6:17), os apóstolos deste século estão com suas cútis impecáveis;
Paulo não fui uma exceção a regra, o ministério dos demais apóstolos também foi povoado por lutas e dificuldades, e nem isto garantiu-lhes uma descida tranquila aos túmulos de seus pais! O único apóstolo que teve sua morte registrada no Novo Testamento foi Tiago, filho de Zebedeu, executado por Herodes por volta de 44 d.C. (Atos 12:2). Não obstante, registros históricos e/ou advindos da tradição nos dão conta do tipo de morte que os demais tiveram:
  • Pedro foi crucificado de cabeça para baixo (a seu próprio pedido, por não considerar-se digno de morrer como seu Mestre) no Circo de Nero;
  • André foi morto em uma cruz em forma de “X”;
  • Tomé foi morto pelas lanças de quatro soldados em Mylapore, Índia;
  • Existem divergências quanto a morte de Felipe. O mais provável é que ele tenha sido crucificado, mas existem relatos que confirmam sua morte em uma prisão da Ásia Menor, mediante tortura, ordenada pelo pró-cônsul;
  • Também não é muito precisa a “causa mortis” de Mateus, enquanto algumas histórias dizem que ele não foi martirizado, outras confirmam sua morte por esfaqueamento na Etiópia;
  • Bartolomeu teria sido esfolado vivo e depois decapitado pelo governador de Albanópolis, atual Derbent (cidade localizada na República do Dargestão, Rússia);
  • Como dito antes, Tiago, filho de Zebedeu, foi executado em 44 d.C;
  •  Tiago, filho de Alfeu, teria sido apedrejado;
  • Simão, o Zelote, foi morto após ter se negado a sacrificar ao deus Sol dos zoroastristas;
  • Judas Tadeu foi morto a machadadas, no mesmo episódio que vitimou Simão, o Zelote;
  • João teria morrido de morte natural em Éfeso, no ano 103 d.C., quando tinha 94 anos;
  • Matias foi morto na fogueira;
  • Paulo, por possuir cidadania romana, não foi crucificado e sim decapitado, na Via Ostiense, em Roma;

E ai? Alguém ai ainda quer ser apóstolo?

Anúncios
Etiquetado , , , , , ,