Arquivo da categoria: mundo lá de fora

Existe pecado de estado?

Bem pessoal, a pergunta parece ser simples, mas as implicações são muitas. Quero saber a opinião de vocês, e se possível, utilizem o formulário de comentários para postar suas impressões a respeito do assunto.

EDIT

Como diria o “Velho Guerreiro”: Eu vim pra confundir, não para explicar!

Jesus citou as cidades impenitentes de Corazim e Betsaida (Mateus 11:21), falando a respeito do juízo que se abaterá sobre elas. Em outro episódio, vemos o Mestre chorando sobre Jerusalém (Mateus 23:37), por conta de sua rebeldia. Seriam estas as evidencias de que um “estado” pode pecar e  por consequência, padecer por isto?

Anúncios
Etiquetado , , ,

Dura lex, sed lex!

Na semana passada, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), tornou legitima a união estável entre pessoas do mesmo sexo. Este fato causou uma enorme comoção entre cristãos católicos e evangélicos. Estes ergueram suas vozes para protestar contra a lei, afirmando que a mesma levará ao ocaso instituições como o casamento e a família.

Tenho consciência de que o modelo de familia oficializado pelo STJ não é aquele que o Senhor instituiu. No entanto, sei que aquele tribunal só possui poderes para normalizar contratos civis e não tem jurisdição para estabelecer o que é e o que não é familia. Ora, o estado precisa garantir igualdade de direito a todos os seus cidadãos (princípio da isonomia).

“Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.” (Mateus 22:21)

Ao estado o que é de competência do estado, e aos cidadãos os direitos que este estado pode lhes garantir! É uma questão de justiça garantir às pessoas que levam uma vida em comum, o direito de colocar seus parceiros como dependentes em planos de saúde ou de declarar renda conjunta na hora de adquirirem um imóvel.

Agora, caso algum dos amados irmãos recomende uma reaproximação entre o estado e a Igreja e uma consequente equalização entre as normas estatais e os valores cristãos, sugiro alguns ajustes em nosso sistema legal.

Art. 1º. É justo obedecer as leis dos homens (Romanos 13:1-2, I Pedro 2:13), portanto, nenhum cristão deverá estacionar em local não permitido, trafegar em uma velocidade acima da regulamentar (independente de haver radar ou não) ou  ultrapassar o semáforo quando este estiver vermelho. As multas deverão sofrer um acréscimo de 70 * 7%, pelo fato do infrator ser cristão.

Art. 2º. Aquele que roubava, não roube mais (Efésios 4:28), assim, todos os cristãos que possuírem softwares não legalizados (“piratas”) instalados em seus computadores, devem adquiri-los legalmente ou apaga-los imediatamente, sob pena de sofrerem reclusões por um período não menor que dez (10) anos.

Art. 3º. Por que não sofreis antes a injustiça? (1 Coríntios 6:7) Em caso de uma disputa entre irmãos de fé, um dos cristãos deverá optar por sofrer o prejuízo, caso contrário, pela aplicação da lei, ambos perderão.

Art. 4º. Todo cristão será obrigado a socorrer os orfãos e as viuvas em suas dificuldades (Tiago 1:27). Caso o cristão tome conhecimento de um órfão ou uma viuva em apuros, e mesmo assim, negue-se a ajuda-los, lhe será aplicada uma multa, cujo valor será revertido em itens essenciais ao sustento dos desvalidos.

Não sei se todos compreenderam, portanto vou tentar ser mais explicito: Não estou afirmando com este conjunto de “leis”, que o estado não possa ou não deva adotar valores cristãos, só quero chamar a atenção para o fato de que somos muito bons cobradores quando a dívida não é nossa! (Mateus 18:33)

“E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?” (Lucas 6:41)

Etiquetado , , , ,

O culto ao demérito e o BBB

A cada ano, a Rede Globo de Televisão ergue, não só um altar, mas uma enorme catedral em honra ao demérito. Todas as noites, “um Brasil de audiência” acomoda-se em frente a televisão para ver passar um desfile de grosserias, egocentrismo, maledicências, traições, etc… E para piorar, o mestre de cerimônia deste verdadeiro show de horrores, o outrora jornalista Pedro Bial, refere-se aos seus protagonistas como “nossos herois”. Um acinte!!

Ao que parece, os ocupantes “da casa mais vigiada do Brasil” são escolhidos a dedo, com um único propósito claro: De que as interações entre eles gerem situações que eu classificaria como “pouco ortodoxas”. É perfeitamente compreensível (embora não justificável), afinal, ninguém ligaria a TV para assistir a um pacífico jantar em família ou a um grupo de amigos envolvidos em uma conversa saudável. Não mesmo! Certa vez, Niki Lauda, ex-piloto de Formula 1, disse uma frase que é um reflexo desta realidade.

“Sei que a maioria do público quer ver acidentes. Mas uma boa parte vai ao autódromo interessado em ver uma boa competição”

Segundo a visão de Lauda, o que desperta o interesse da maioria dos espectadores de automobilismo (e de realities shows) é o extraordinário, o atípico, o fora do comum. A imagem do bólido desintegrando-se ao bater violentamente contra um guard rail é mais atraente do que a de um piloto cruzando em segurança a linha de chegada… Pode parecer cruel, e de fato é, pois muitos já perderam a vida deste modo!

A grande mídia conseguiu gravar de forma indelével no inconsciente coletivo a idéia de que o natural, o cotidiano, o típico e o rotineiro são coisas ruins e que por este motivo, devemos fugir deles assim como o diabo foge da Cruz!

Vejo moças que não anseiam mais freqüentar uma universidade para estudar e concluir seus cursos com louvor, e sim, para “causar” a bordo de seus micro-vestidos; Presencio rapazes sendo laureados por seus amigos por tomarem vodca pelos olhos ou por publicarem fotos ou vídeos indiscretos de suas ex-namoradas; Assisto pela TV uma repórter enaltecendo a família “moderna”, composta por dois “pais” ou duas “mães” e seus “filhos”.

Todos almejam ser como os “heróis” da televisão, que adotaram como lema de vida a frase “falem mal, mas falem de mim”. Este é somente mais um dos ecos do ocaso de uma sociedade que aceita a injustiça, conforma-se com o mal e cultua o demérito!

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2)

Etiquetado , , , , , ,

O deus maneta


Tyr, o deus maneta

Durante este período eleitoral, não é raro escutar discursos que nos remetem ao ápice da Guerra Fria. Enquanto uns empunham seus martelos e afiam suas foices, outros sobem ao Reichstag para despejar sua loquacidade ufanista.

Creio que este clima de animosidade está tomando proporções delirantes! Alguns chegam a acreditar que o PT é realmente um partido socialista! Recomendo que estes não se iludam com a semiótica, pois, nada poderia estar mais distante da realidade, visto que o governo do presidente Lula foi tão ou mais voltado para o capital que a gestão de seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso. De modo semelhante, o PSDB não é um partido nazi-fascista (apesar de sua proximidade com o DEM).

As alucinações atingem níveis ainda mais preocupantes quando a política encontra-se com a religião. É curioso ver como alguns tentam legitimar suas escolhas através da alegação de que “deus” simpatiza com regime X e antipatiza com regime Y. Ora, se a esquerda rendeu Karl Marx e Lenin a direita rendeu Hitler e Mussolini!

O Senhor não toma partido pela esquerda ou pela direita! Não O vejo regendo o universo com uma só mão!

“Desde a antiguidade fundaste a terra, e os céus são obra das tuas mãos.” (Salmos 102:25)

Só por curiosidade: A imagem do post é de uma divindade da mitologia nórdica chamado Tyr, também conhecido por “deus maneta”.

Etiquetado , ,

A pelada

Era uma vez um grupo de crentes, todos membros da mesma igreja. Era uma turma entusiasmada, que costumava reunir-se dominicalmente, não para estudar a Bíblia, e sim, para disputar animadas peladas.

Não raramente, o pastor daquela congregação participava dos embates futebolísticos. Acontece que, quando o nobre pastor estava entre as quatro linhas, todos se esforçavam ao máximo para manter o decoro (como convém à um grupo de santos).

No entanto, em uma partida bastante disputada, um dos peladeiros mais habilidosos avançou com a bola dominada, da intermediária até a linha de fundo, e enquanto este esforçava-se para vencer o bloqueio adversário, outro irmãozinho tentava chamar sua atenção aos berros, pois subia livre pela lateral oposta. Contudo, o fominha não quis conversa, arriscou um segundo drible, e por isso, perdeu a posse da redonda para um dos defensores.

O irmãozinho, que já estava bastante agitado, perdeu as estribeiras de vez!  Lá mesmo onde estava, parou e se agachou, socando o gramado e praguejando aos quatro ventos! Neste instante, as atenções voltaram-se para o pastor, pois todos esperavam que aquela ovelha destemperada fosse severamente repreendida! Todavia, para surpresa de todos, em vez de um cenho franzido, o que se viu no rosto do pastor foi um largo sorriso aberto! Daí, os queixos foram de vez ao chão quando perceberam que o pastor aplaudia, em aparente aprovação a atitude descontrolada do irmãozinho! Percebendo os olhares atônitos, o pastor, com a serenidade que lhe era peculiar, falou:

– “Que beleza! Demorou, mas finalmente apareceu um ser humano!”

Nesta pelada, foi o irmãozinho quem ficou pelado…

… Seria bom se a vida fosse uma grande pelada!

nEle

Carlos

Etiquetado , ,
Anúncios