Eleições Yin Yang


Poucas coisas costumam mexer tanto com os ânimos e paixões dos brasileiros quanto futebol e eleições.  A diferença é que a dor de cotovelo causada pelo fracasso de um time é muito branda frente aos males que o voto equivocado pode provocar.

Em meio a defesas inflamadas e ataques aguerridos, os excessos costumam ocorrer. E um deles é o de enxergar o pleito como uma batalha polarizada entre o Bem e o Mal, onde cada candidato representa uma destas “forças”. Por curiosidade, eu perguntaria aos que cultivam esta visão: Quem é o Bem? Quem é o Mal? O candidato X é um representante do Bem? O candidato Y é um defensor do Mal?

Está idéia é muito perigosa, porque ao passo que demonizamos um dos candidatos, messianizamos o seu oponente direto! Da mesma forma que um dos candidatos não é um novo messias enviado por Deus, o outro não é o anti-Cristo enviado por Satanás para destruir a humanidade. São dois políticos que defendem visões e propostas distintas. Agora, é bem certo que algumas destas propostas são de fato daninhas e contrárias aos valores defendidos pela fé cristã.

Precisamos ter serenidade e inteligência, pois corremos o risco de incorrer nos erros da visão maniqueísta, onde o Bem e o Mal são vistos como forças antagônicas, igualmente poderosas, que devem se manter em perfeito equilíbrio. Eu diria a estes que não existe batalha, muito menos equilíbrio entre o Bem absoluto (Deus) e o Mal absoluto (Diabo), pelo simples fato de Deus ser soberano! Ele dá as ordens, e ponto final! Nem mesmo os demônios podem ir contra a vontade do Todo Poderoso!

Eu, pessoalmente, prossigo desconfiando de ambos os lados (Jeremias 17:5). Não obstante, peço a Deus que nos ilumine, que o próximo governante seja sábio e que comande esta grande nação com retidão e justiça.

Carlos

Anúncios
Etiquetado , , , ,

7 pensamentos sobre “Eleições Yin Yang

  1. oandarilho01 disse:

    Salve!
    Vou começar…

    Para nós, cristãos, não é assim tão difícil definir quem é do bem e quem é do mal. De pronto: partidos comunistas e de ideologia abertamente socialista devem ser descartados (PT, PSOL, PCO, PCB, PCdoB, PSTU e afins). Afinal, estas ideologias são essencialmente anticristãs e só provocaram (ainda provocam) males nos países em que conseguiram ser plenamente aplicadas, como em Cuba e na China, por exemplo).

    Pode ser que um candidato do PT, por exemplo, não seja necessariamente um “defensor do mal”, já que é possível alimentar a fantasia de conseguir lutar contra as bandeiras ruins do partido, mas ele está, inegavelmente, contribuindo para o avanço da agenda maligna do partido, o que o torna um candidato ruim (Não necessariamente mau).

    Assim como é importante cuidar para não ser leviano na “maniqueização” das opiniões, deve-se prestar atenção e avaliar bem candidatos e partidos, a fim de evitar despreocupar-se ingenuamente. Podendo contribuir para que um candidato definitivamente ruim não seja eleito, presta-se bom serviço à sociedade.

    Política é, entre outras coisas, disputa.

    • porele disse:

      Concordo com você, mais uma vez…

      No entanto (sempre tem um “mas”), minha preocupação é exatamente a criação de antagonismos, pois ao passo que você aponta uma doutrina (seja ela política, religiosa, etc…) como “má”, com outra mão você indica o movimento contrário como “bom”.

      Não creio que o anticomunismo (nem cito o capitalismo) seja mais benéfico a humanidade do que o sistema oposto… As desigualdades e as contradições geradas por este modelo não são tão melhores que os absurdos promovidos pelo comunismo/socialismo.

      Obrigado pelo comentário, é sempre bom trocar ideia com pessoas inteligentes como você.

      Abraços,

      Carlos

      • oandarilho01 disse:

        Entendo, embora contine discordando que haja um *inevitável* dualismo. Não acho que só porque se aponta uma via ruim, *necessariamente* estabeleça-se uma *única* via oposta.

        Eu até flerto, com meus botões, um esquema de troca de serviços (substituir a palavra por “favores” poderia perverter todo o conceito…) que pudesse eliminar a necessidade de uso de moeda, mas nunca levei muito à frente esse ensaio.

        Sei que existe uma proposta que pessoas que admiro têm como boa: distributismo. Dois caras que trabalharam essa idéia foram os amigos Hilaire Belloc e G. K. Chesterton. Estou com este sistema na fila dos meus estudos. Um dia poderei amadurecer meu conhecimento e visão de economia com isso.

        Eu é que agradeço a oportunidade de exercitar o intelecto!

        Abç

      • porele disse:

        O problema é que tanto os favores quanto os serviços virariam moeda… Continuaria a existir o juízo de valor sobre quais serviços valem mais…

        O maior problema do capitalismo é que o mercado que deveria servir a vida, acaba reivindicando a posição de senhor… Certa vez assisti um documentário que mostrava o problema de pessoas vítimas da doença do sono, cujo o vetor é a mosca Tsé-Tsé. O remédio disponível para o tratamento da doença é tão agressivo que precisa ser ministrado em seringas de vidro! Se a pessoa sobreviver ao tratamento, sobreviverá a doença! Daí, um laboratório desenvolveu um medicamento mais eficaz e bem menos agressivo. O tal medicamento chegou a ser produzido, mas não por muito tempo. O laboratório simplesmente não tinha interesse em produzir um remédio que só seria utilizado por um “bando de africanos pobres”…

        Este é um exemplo do mercado que quer se servir de vida (do trabalho das pessoas) mas não quer servir a vida! Mal típico do capitalismo!

  2. oandarilho01 disse:

    Então, na minha utopia, um servidor executaria seu serviço a quem precisasse mas sem fazer disso moeda de troca, entende? Um sapateiro faria calçado que seriam “retirados” por quem precisasse, mas isso não quer dizer que o sapateiro levaria seus produtos para trocar por legumes na feira. Compreende?
    É até algo bem parecido com o que S. Thomas Morus desenvolveu no seu livro Utopia, embora eu tenha elaborado esta idéia antes mesmo de ler o livro.
    Mas é sem dúvida uma proposta incompleta. Não tem ainda, por exemplo, uma defesa que evite de ser pervertida em comunismo 🙂

    Com relação ao problema da doença do sono que você uso de exemplo, concordo. E é a mesma essência do problema da fome na Ásia/África, talvez. Quem produz os alimentos simplesmente não quer dá-los a quem não pode comprar.
    Porém, na prerrogativa centralizadora do socialismo/comunismo, tanto os medicamentos como os alimentos permanecem sob risco de racionamento.
    No comunismo real/existente. Não no “seu” comunismo.

    • porele disse:

      Alcançamos a concordância! Eeeeeeeeeeeee!!! É motivo para comemorar!!! hahahah

      Brincadeiras a parte, não tenho como discordar de você, e por isso, humildemente me rendo… Entrego minha espada em suas mãos!! hahahah

      Afinal, a gente não está em lados diametralmente opostos, concordo com muitas coisas que você diz em seu blog (difícil vai ser você concordar com o que está escrito no meu… heheheh), só acho que as vezes você pinta as coisas em cores fortes demais… Mas isso não chega a tornar seu argumento repelente, até acho interessante as pitadas de humor ácido que você usa para temperar as discussões…

      Beleza, depois vou procurar dentre seus artigos alguma coisa para voltarmos a discordar!

      Só para pigarrear… Quando poder dá uma olhada neste texto => https://porele.wordpress.com/2010/10/21/la-pieta/

      • oandarilho01 disse:

        Bacana…
        Volte lá sim, Carlos. É muito bom poder exercitar a argumentação e a humildade/honestidade. Em algumas discussões os opositores provocam muito mais um desejo muito maior de obter uma vitória do que o de atingir um ponto de concordância.

        Cores fortes? Gostei dessa opinião. Meias palavras são para os fracos, hehe.
        O que mais me agradou nesse nosso contato inicial foi o perfil. Você responde atenciosamente a cada comentário, e procura pontuá-los para não deixar escapar os argumentos. isso é muito bom.

        Bem, de acordo com nosso debate, provavelmente você se interesse por outros artigos voltados para a política/direito mesmo. Sugiro dois:
        http://oandarilho01.wordpress.com/2011/06/07/de-tras-pra-frente/
        http://oandarilho01.wordpress.com/2012/09/03/pena-de-morte/

        Lerei o artigo. Estou com outro aberto, “Quem dizem os homens ser o Filho do homem”

        Abraço. Até mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: